quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

E no final do ano, amigos como e para sempre

Ainda por cá ando.
Não cheguei a vir desejar a todos um Feliz Natal, mas espero que tenham tido um Natal muito doce.
O meu foi muito bom. A noite de Natal com os meus pais, num ambiente calmo e muito familiar e o dia de Natal já com as pipocas que estavam numa alegria só. Tivemos, inclusivé direito a um Pai Natal com um saco de prendas, que entrou "por milagre" dentro de casa e que "se foi" depois de deixar / entregar as prendas às pipocas. Uma alegria, misturada com um espanto, que só visto. Impossível dscrever.
Passou-se muito bem foi muito, muito bom.
E agora vem aí a passagem de ano. Como tem sido sempre, tal como mais gosto, será passada em casa com amigos do coração e já com amiguinhos igualmente de coração (a descendência). Porém este ano, a passagem de ano terá, para mim, um sabor especial. Será a primeira vez que, ao fim de tantos anos, vou realizar o sonho de a fazer em minha casa para os meus amigos. Pode até ser única (por motivos que não vou lembrar em final de ano), mas será lá que vamos todos juntos, comer as passas , gritar ao novo ano e abraçarmo-nos uns aos outros. Ah! e não faltará o Champomix, que já foi pedido pela pipocada.
Tenho um grupo de amigos fantástico. Acompanhamos faz mais de 30 anos. É verdade. Leram bem, não foi erro de digitação. Outros houve que pelo caminho se juntaram assim como outros se "perderam". Mas estamos ali todos, uns para os outros.
Com ajuda uns dos outros, (que todos querem ajudar pois sabem o trabalho que dá), vamos ter por certo umas horas bem passadas. Os telefonemas e mails não param a perguntar o que é preciso, o que podem fazer.
Apesar de não ter talheres para todos (OMG) lá nos vamos organizar, orientar e principalmente confraternizar.
Desejo que a vossa passagem de ano seja igualmente cheia de espectativa como a minha.

A todos os que por aqui passam e me lêem, desejo tudo o que de melhor há.
D.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Saudades

de adormecer com um bebé ao colo, aquele toque macio da pele e do cabelo. Aquele cheirinho doce.
Mas a vida não se compadece de saudades.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Post Crossing

Já "cá canta" o meu postal da onda de revivalismos da "ursa".



Obrigada.
Feliz Natal.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

O arroz doce

Ora a conversa de almoço, entre duas criaturas de sexo oposto que estiverão hiper caladas para aí uns 10 minutos desde que cheguei (eles já lá estavam com ar de calados) foi, o arroz doce.
Diz ele: faço arroz doce
Ela: :-). Como fazes?
Ele: cozo o arroz com leite blá, blá... Interrompido
Ela: não é assim que se faz. Eu cozo com água. Blá blá blá blá blá blá blá

Enfim, o resto da receita para trás e para a frente. Mas a d'água é que era.
Mais 10 minutos calados.

Ele: a quantidade de gente que aqui vai (N.B. um centro comercial)

Aiiiii... Que conversa agradável que tive de ouvir à refeição!

Sou EU

Não sou ninguém especial, nem tão pouco ilustre e conhecida. Digo banalidades, nada especial, grandemente profundo ou espiritual. Não conheço o calor dos focos da fama e passo despercebida por entre a multidão glamorosa. Tenho uma figura comum e não desperto o suspiro do sonho improvável em ninguém.
Gosto de ser grandiosa nos meus atos, mas guardá-los para mim.
Limito-me a viver e a ajudar a viver cada dia, aos bocadinhos e ao tamanho da minha possibilidade.
Sou EU.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

"Para a Vida"

Eu, não sei se por pisadelas passadas se por ser mesmo assim desde sempre (recordo-me de certa forma, sempre ter defendido este ponto de vista), não acredito em coisas para a vida, ou eternas, ou encantadas. Mas, talvez como uma defesa natural. Não sei! Talvez...
Bom, seja como for, gosto de pensar na perfeição da vida. Claro!
Gosto de achar que o caminho certo foi encontrado. Que eu sou e serei o mundo daquela pessoa e vice-versa. E que quando, um dia, não me levantar de uma cama, aquela pessoa que hoje tem tanto cuidado comigo e me manda comer e me relembra que tenho de fazer-seja-o-que-for, vai estar lá, à minha cabeceira, a tomar, uma vez mais, conta de mim. Com o mesmo sorriso, com o mesmo carinho.
Mas, e também por tudo isso, este texto da Marianne, poderia ter sido escrito por mim.


Quando um dia, já não me recordar do meu nome, mantém a coragem e o carinho e lembra-me do teu.




sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

A vida pode ter a cor e o sabor que quisermos


Bom fim-de-semana.
Espero do meu, doce e rosa.

Na primeira pessoa, mas podia ser noutra

Por vezes gostava de ser profunda. Ter sempre a palavra certa e a atitude correcta, para cada minuto que se passa na vida;
Por vezes gostava de conseguir calar a palavra errada e que fere. e sei que fere, mas não evito a sua saída. Digo, e sei que ficará a bater bem no fundo repetidas vezes até passar ao estado letárgico;
Por vezes gostava de irradiar amor, calma e perfume da doçura;
Por vezes gostava que à minha volta tudo fosse calma, harmonia. Que todos respeitássemos e obedecêssemos uns aos outros.;
Por vezes gostava que fizéssemos tudo pelos outros e empírica e automaticamente os outros fizessem tudo por nós. Assim, como um impulso, como algo obviamente natural;
Por vezes gostava de ser uma mãe-pai perfeita e de umas filhas perfeitas. Filha perfeita de pais perfeitos, amor perfeito de perfeito amor;
Por vezes gostava de ser mulher perfeita.
Mas não sou!
Mas o mundo também não o é!
Mas as palavras, a raiva e o stress não me ficam presos! Saem.
Mas a vontade de ser melhor, por vezes esvai-se!
E eu, perco.
Perco um pouco de mim.
Perco um pouco do interesse, do amor dos que são meus.
Perco a sua preocupação, a sua companhia.
Perco a sua fúria por estarem junto a mim.
Mas se eu sei tudo o que perco sendo como sou, porque é que por vezes não consigo pôr de lado a raiva que me torna fria e não deixo que o que de bom tenho me lidere. Para todos nós era um ganho!

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

These Are the Days Of Our Lives


Hoje estou muito dada a música. Mas faz hoje 20 anos, é verdade, já 20 anos, que morreu o simbolo de uma das minhas bandas de eleição. Lembro-me perfeitamente onde estava quando vi a notícia na TV. [caramba! 20 anos!]
Quanto a mim, perdeu-se "algo grande". Mas ficou o que de bom nos deixou, a sua música e a sua grande voz.

Freddie dizia "sofrer da mais terrível forma de solidão, podia comprar tudo no mundo, menos o que mais desejava, uma relação amorosa estável".

O amor, o carinho e o abraço verdadeiro, não se compram nem se obrigam. Dá-se e tem-se só porque sim.

Alguém é servido?

Está, deliciosa. Porém, não igual a muitas.

Bruce Springsteen vem ao Rock in Rio-Lisboa

Estou para lá de contente!


Hoje, comecei bem o dia, apesar de ser dia de greve geral. Saí cedinho, pelo que não apanhei grandes confusões. Aliás, nenhumas. Ainda cheguei a tempo e horas de beber super descansada o meu café da manhã e comprar algo para comer a meio da manhã. Bom, mas isto para dizer que, pelo caminho, fiquei a saber da notícia de que Bruce Springsteen vem ao Rock in Rio-Lisboa, 2012 no dia 3 de Junho. Yupi.
Eu adoro Bruce Springsteen. É dos meus músicos favoritos desde os meus tempos de teenager. Os tempos de teenager já lá vão, mas o gosto pelo Mr. Bruce Springsteen mantém-se.
Logo, já tenho algo para pedir ao Pai Natal; ou algo para colocar numa Wish List; ou o que quiserem. Eu quero um bilhete para o Rock in Rio para ir ver o BS. Claro, queres, larga o dinheirinho, porque ninguém te dá nada à borlix.
O que me faz confusão? Ter de o adquirir, provavelmente, com 6 meses de antecedência! Acho que isto é um disparate, mas penso que sou menina para embarcar em tal paranoia desta vez. A culpa desta fobia e desta loucura antecipada à aquisição de bilhetes é de cada um de nós que se deixa ir e levar por esta febre sem sentido. Mas enfim, desta vez acuso-me, sou também doente.
Quando ele cá veio há 19 anos atrás, eu estava lá. Cedo para apanhar um excelente lugar. Estive a passar uma tardada no estádio, naquele longínquo dia 1 de Maio. Foi, para mim, dos concertos que me ficou na memória. Lembro-me como deixei o carro, lembro-me de bocados de comentários que se fizeram, lembro-me de pormenores que não faz sequer sentido lembrar. Realmente, o que um teenager faz. :)





terça-feira, 22 de novembro de 2011

ando tão fartinha

que me imagino em casa com ocupação de mãe e dona de casa a tempo inteiro.
Quem me conhece vai achar que pirei de vez. Mas olhem que se pirei, a culpa não é minha.

em pensamento

Não sei se me mantenha como sou se vire minimalista!

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

ahora en castellano

Afinal, não. Vai em Português.
Isto tudo para dizer que recomecei as aulas de espanhol.
Na empresa onde trabalho, resolveram há dois anos proporcionar a aprendizagem desta língua aos seus colaboradores. As aulas são lecionadas nas próprias instalações, o que não nos leva a deslocações. [OK, tentei que professora viesse até à minha secretária, a malandra não aceitou e eu lá tenho de descer as escadas.]
O curso é pago pela empresa por isso é uma boa oportunidade.
No primeiro ano fui cheia de vontade. Andei lá, pode-se dizer que aprendi algumas coisas, passei o nível I, gostei muito da professora, mas.... há sempre um mas. Mas, no segundo ano deu-me a pereza [preguiça] e não me inscrevi.
Este ano, para os bonitinho, já o terceiro, o curso continua. Resolvi inscrever-me cheia de vontade. Claro, fui para uma mini-turma de preguiçosos como eu, que se encontra no nível 2. Mas gostei de voltar. E ainda me consigo recordar de algumas regras, poucas, mas algumas.
Desde que me lembro que adorava o início dos anos letivos. Era sempre uma emoção com novas canetas, cadernos etc. Desta vez, não é bem novas canetas, cadernos, etc, mas é o recomeçar algo fora da rotina.
Vai correr bem por certo, principalmente quando as minhas princesas me recomeçarem a pedir para aprenderem um pouco el lenguaje de nuestros hermanos.

(eu não sei falar e muito menos escrever, que é algo que considero ainda mais complicado. por isso se houverem erros, agradeço a correcção contstrutiva dos mesmos)

a vida partilhada

Partilhar cada bocadinho da nossa vida com quem gosta de partilhar connosco, a sua, é algo que não se consegue descrever.
Enche-nos por dentre e aquece-nos o coração. Pequenos pormenores, pequenos miminhos que nos fazem ter um dia completamente diferente.
 O tempo até passa mais rápido.



Boa Semana!

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

[não me ocorre nenhum título]

se pudesse ser egoísta só para realizar uma vontade, era-o e muito!
e quando te sentisse ainda mais a falta, fazia magia e estavas aqui, junto de mim.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O meu fim-de-semana

Muita chuva lá fora, muito calor cá dentro.
Foi, apesar das pipocas virem completamente electricas, ou diria, electrificadas, um fim-de-semana "à maneira".
Já há tempos vos tinhs dito que a D. ia realmente ficar entre-linhas. E este fim-de-semana fiquei novamente. Fui fazer um workshop onde o resultado foi este anjinho que aqui aparece. Conheci umas meninas super simpáticas num ambiente muito agradável, o que tornou tudo muito mais quente.
Por casa, entre tarefas partilhadas e ralhetes desabafados, foi um fim-de-semana muito bom.
E agóra só me resta desejar a todos, Boa Semana.


sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Já agora

Já agora, pede um desejo neste momento e sempre. Faz da vida um desejo.

Ah! E já agora: 11-11-11 = -11

Tenham uma excelente sexta feira.

quinta-feira, 10 de novembro de 2011

De dúvida em dúvida, quase como, de nenúfar em nenúfar!

Banir, proibir, castigar será a solução? Isso pode ser repressão e criar medos que ficam e que incentivam a arranjar espacaptórias ludibriosas para atingir fins que podem nem sempre ser os que conduzem à felicidade.
Acho que mais do que isso devemos conversar, ensinar quando se deve ou não fazer determinada coisa, mostrar o mal que há e o bem que se pode ajudar a ter. Apresentar as dificuldades... que enfrentamos para proporcionar determinadas coisas.
Tentar ao máximo, responsabilizar. Estar sempre presente e atento às vitórias e às não-vitórias.
As asneiras, podem ser algo muito positivo. Desde que se consiga transformar o mau em bom, o negativo em positico.
Mas será que os mais novos aprendem de facto assim? Será esta a melhor forma de criar o futuro dos nossos? Haverá idade a partir da qual tudo isto se aplica?
Eu ainda venho da altura em que reprimir era a solução. Eu ainda sou da altura em que havia uma espécie de respeito imposto às crianças, em que mal nos sentiamos olhados estavamos já sem respiração.
O valorizar momentos positivos no meio de castigos profundos deve ser feito. Sabemos que passar de ano não passa da normal obrigação da criança, mas o reconforto pelo bem sucedido deve ser implementado. Deve ser valorizado.
Afinal, é como no nosso local de trabalho. Quantos de nós não se sente grande quando fazemos algo que é valorizado e sublinhado por colegas e chefias? Se eu gosto, as crianças também gostam.
A educação que recebi, não a vejo como errada. Mas também não a vejo como a que gostaria de usar. A mim, não me fez assim tanto mal. Livrou-me de muito, mas também me levou a optar por caminhos que, vendo hoje, se calhar não os teria escolhido. Mas não me fez mal. Porém acho que algo de diferente e mais agradável pode ser utilizado.
Um dos maiores desafios que se apresenta ao ser humano, é sem dúvida ajudar a construir outro ser humano. Educar!
Estar atento e nunca desistir.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Hoje é dia de

Hoje seria dia de falar da greve dos transportes. É! Hoje há greve de transportes. Entramos em Novembro e vai-se lá saber porquê, iniciam-se as greves de transportes.

Mas para me meter aqui a falar da greve de transportes ia-me sair uma catrefada de dissertações, umas certas outras erradas! (o mais provável era serem todas erradas).

Eu não uso os transportes. Para vir para o trabalho não me compensa (quer dizer, em termos de gastos monetários sim, mas na vida nem tudo se resume a dinheiro) e como ainda consigo aguentar a diferença entre o custo do passe e do combustível, venho de carro que demoro menos tempo. Demoro, alto-e-para-o-baile! Se não for dia de greve. Porque se for como o de hoje, com chuva à mistura em que todos tiveram de deixar o passe em casa e trazer o carro, compensa mas é uma bela fava. Bem, compensa porque não teria transportes para chegar ao trabalho. Olha, adiante que isto está a ficar uma confusão.

Ah! Mas já agora, eu cá se tivesse passe e fosse privada de utilizar os transportes públicos, tendo de usar o meu carro particular gastando combustível, manutenção, paciência etc, acho que ia mandar uma reclamaçãozita. Eu sei que não dá em nada. Eu sei que todos têm direito à greve. Eu sei que há ordenados em atraso. Eu sei que o país ‘tá uma merda. Eu sei que ainda tenho sorte em ter trabalho e ordenado (até quando, não sei. Cada dia é um dia). Eu sei, eu sei…. Mas caramba! Haja pachorra.

Ora mas adiante, vinha cá apenas dizer que hoje estou com um sono que não posso. Nunca mais chego a casa hoje para, tirar as botas, deitar-me um pouco a receber mimos que nem uma princesa, por uns minutos. Pode ser?

(Mas até chegar a casa, ainda vou ter de enfrentar a chuva, a malta do passe nos seus carros particulares, as estradas cheias, o arco-da-velha-em-cuecas)

Nova Linha Ligada

Tenho uma nova Linha Ligada.
Uma linha especial, uma linha amiga e muito bonita.
A minha amiga Ritinha, faz todas as coisas de "Pedras em Si".
A Ritinha é para além de uma empreededora, um doce. Aposto que todos iriam gostar de a conhecer pessoalmente. Mas enquanto não podem, espreitem. Quem sabe tem lá algo com o qual sonhavam.

Logo de Pedras em Si, por Rita Tavares


segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Já-nasceram-tantos-ópois-mim

E antes? Eh láh! Ganda population que por cá anda.

Vejam aqui qual o seu múmero-de-série.
http://www.bbc.co.uk/news/world-15391515

A ursa contra-ataca again! - "Polar Postcrossing edição 2011 is coming to town"

O ano passado participei, [através de outro blog que teve uma morte hiper-anunciada]e recebi um postal da Kelle. Foi uma alegria. A Kelle deu-se ao "trabalho" de ler o tal blog e descobriu que a minha pipoquinha mais pequena e de certa forma a outra também, queriam um gato. Como na altura era de todo impossível ter um gato, atendendo À casa onde estava, etc, ela mandou-nos um lindo postal com um gato. Foi o delírio delas e o postal (que ainda está dentro da caixa onde se guardam as coisas de Natal) chegou, permaneceu na árvore de Natal.

Ora este ano a ursa contra-ataca de novo e lança novamente o desafio. Polar Postcrossing edição 2011. (vejam aqui como participar, se quiserem).

É segunda? Onde se meteu o fim-de-semana?


Sabem quando se acorda na segunda-feira e parece que se passou uma semana inteirinha de trabalhos forçados? E, por isso, a sexta-feira é especialmente dolorosa?
Pois que é quase assim que me sinto hoje. Este fim-de-semana foi especialmente trabalhoso. As limpezas foram mais que muitas, e mais roupa, e mais cozinha e mais, e mais e.... Cansativo, báá...que desperdício!
No final fica-se com a sensação de dever hiper-comprido (e cumprido também) mas o corpo ressente-se.
Mas foi bom. Quando há colaboração, cooperação e apoio até parece que o trabalho é mais leve e fácil de fazer (mesmo que depois nos doa tudo).
Mas vendo bem, deu para tudo. Trabalhar, relaxar (pouco) fazer petiscos (a-4-mãos-são-uma-verdadeira-obra-de-arte, uau!), sair e até experimentar coisas novas, onde foi o chamado só-rir.
Mas hoje sinto-me um pouco "agastada". E ainda só é segunda.
Sabem do que preciso mesmo? Umas comprinhas, ou apenas ver lojas. Há quem não entenda esta terapia, mas sei que também há bastante quem a partilhe comigo. É isso mesmo, está decidido. (até parece que me sinto mais recomposta).
E para já, votos de uma excelente semana.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

E como prometido

cá está a "obra-de-arte" das minhas pipocas. A decoração ficou a cargo delas. Com banco, sem banco... lá se arranjaram.
Tenho de ir arranjar mais uma fita vermelha e mais umas luzes coloridas. Este foi o pedido.
Mas digam lá, até está catita.



quarta-feira, 2 de novembro de 2011

by the way

a minha casa já cheira a Natal!
É o que dá ter crianças que ainda gostam mais da época que a mãe.

(se tiver oportunidade, depois mostro)

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Pequenos nadas

Há pequenos gestos, pequenos passa-tempos, pequenos nadas que nos mostram que realmente vale a pena.
É um caminho. É o caminho que nos estava traçado e que foi escolhido.
Não desistir e desbravar mais o caminho, é o contributo para a felicidade.
Adoro os pequenos nadas que são tudo para mim.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Avó

Revi-me, revendo a avó das minhas filhas neste texto. (Não querendo por-me a falar de outras pessoas, posso também dizer que revejo, de certa forma, a avó paterna das minhas lindas aqui também.)
Quanto a mim, directamente, não me revejo, pois infelizmente vivi longe delas, felizmente a minha mãe esteve sempre comigo pois tenho um pai que conseguiu sempre aguentar as pontas e assim proporcionar algo à família que hoje em dia não é nada comum nem possível.



Quem consegue amar de forma incondicional como a minha mãe, mesmo por cima de tantos problemas de saúde que tem e de tanto esforço que se vê faz, só pode ter um cantinho bem doce guardado para ela. Um dia, também gostava de assim ser.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Despertar Sorrisos

Hoje vou-vos falar e gostaria que influenciar, sobre uma iniciativa (mais uma, mas cada uma é uma e todas contam) que surgiu no facebook pela Anita Catita, que como o nome indica, faz coisas muito catitas (maravilhosas mesmo e ensina-as a fazer - para além de que é uma simpatia).
A iniciativa,  Despertar Sorrisos.
A ideia, fazer um ou mais ursinhos de pano para que sejam distribuídos no Natal pelas crianças hospitalizadas e que aí vão, infelizmente, encontrar-se nessa época.
A Anita Catita disponibiliza o molde aqui, bem como a morada de envio. Tem já alguns ursinhos e não só. Podem ver, aderir, comentar aqui no FB da Anita Catita.
O meu ursinho tem-me dado que pensar, fazer, pedir conselhos e até rir sem parar devido à minha grande "queda" para as agulhas. Mas eu chego lá! Se só conseguir fazer um, é pena, mas o que fizer será com muito carinho a pensar nessas crianças que, infelizmente, são forçadas a ter um Natal diferente.
Caso queiram que vos dê mais alguma informação, disponham. Mi mail és su mail.




Alguns dos Ursinhos já prontos a Despertar Sorrisos
Divirtam-se e ponham amor na diversão!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Ai! que me apetecia tanto

um belo miminho que me podia acontecer agora, era um pacotinho de castanhas assadas. Apetecia-me tanto! :)

Acho que tenho de pensar em fazer uma espécie de magusto em casa. E para que saia tudo bem no dia, o melhor é ir treinando a "assadura" das castanhas com antecedência.

quarta-feira, 19 de outubro de 2011

Eh pah

tenho as unhas pintadas de fresco e preciso ir ao WC.

O Outono chegou mesmo

Estou desde ontem assim

O que vale é que adoro chá.
O Outono está a dar o ar da sua graça, atrasado, mas a dar e eu a começar com as minhas rinites e restantes "ites".
Confesso que tenho alguma pena do "verono" se ir, mas também já começa a apetecer um pouco de outono. O pijama "T-Shirt" já foi substituido pelo calças-camisola; a mantinha já aconchega as noites e muito em breve o edredon de "meia-estação" tem de ir até às nossas camas.
A pipoquinha já me pediu. Assim, para ela começa hoje. Acordou a meio da noite gelada, coitada. Lá se veio aninhar (só espero que o que eu tenho seja mesmo e só rinite e não lhe passe nada).
Atendendo ao meu estado-chá-dor o que me apetecia mesmo era ir embora e descansar um pouco - mas não posso!

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

E hoje o dia vai para

a minha pipoca mais nova.
Faz hoje 5 anos que, desde que saí de casa até que a tive em cima da minha barriga, não passou mais de 1h30min. Supostamente ia apenas ver se aquelas dorzitas eram normais e seguiria para uma pastelaria. Porque o que eu queria mesmo era um pequeno-almoço. Já não saí de lá e para entrar já foi de rastos (mais um pouco e nascia a caminho).
Foi giro, rápido, correu tudo bem e o mundo ficou mais rico com um sorriso tão ternurento e doce de uma bela pestinha que deixa saudades a quem a conhece.
Parabéns meu amor.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

O drama de uma queen esperançada

A queen, sou eu.
O drama, não temho chavenas de café sufucientes para todos os convivas.
A esperança, é que por ser à noite, não queiram café!

Hoje é quinta, não é? (dia de crise existêncial)

(O título não tem nada a ver, mas também não me lembrava de mais nada. Quase, nem para escrever....)

Hoje estou assim: tem vezes que gostava de ser aquilo que não sou.
Este é o problema dos dias de hoje, estamos sempre mal como  que temos, eu sei. E somos muitos, não sou só eu. Mas a mim, irrita-me quando me sinto assim.
Eu queria ser [mais] organizada, calma, doce, esforçada, meiga... se calhar... adulta! Mas sou como sou e quando tento alterar, sinto que é algo "não-natural". Que raio.
Depois surgem aqueles blogs de pessoas que são todas organizadas, que parece que até o lixo é organizado. Têm tempo para fazer tudo e mais alguma coisa, incluindo dormir, passear e brincar com os filhos e blá, blá blá. Fico desmotivada, claro que fico. Sobrevoo a vida... parece que não tenho galho para pousar.
OMG...

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Aposto que deve ser legalmente obrigatório

Muitos dos WC de locais públicos têm uma altura entre o chão e a zona da porta e divisória propriamente dita, de cerca de 20 cm. Depois colocam um chão hiper-brilhante (é fashion). Conclusão, já não basta a malta ter a visão sonora ainda, para quem for curioso, consegue observar a imagem espelhada. Não é bonito, mas deve ser, se calhar, legal. OMG!

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Só pode ser de mim

Um dos tipos de blog que gosto de olhar, são aqueles cujas mães (e também alguns pais) falam de suas crias. Aprendo coisas, acho giras outras, tiro ideias, enfim, tento aprender algo porque os outros têm sempre algo para nos ensinar. Mas começo a sentir-me um bocado baralhada. Começo a pensar, bem, deve ser de mim ou ...!!!
Ora eu tenho duas filhas. Crianças são crianças, mesmo que umas sejam mais sossegadas que outras. [também tenho uma mais sossegada que outra, uma mais meiga que outra, uma mais esperta que outra, etc etc…]. Mas tudo isto para dizer que, as minha filhas também se portam mal, também respondem mal, também são desobedientes, também ficam de castigo, também, também, também. E quando é preciso, eu digo das suas judiarias. Ora, na maioria destes blogs de mães felizes e contentes, elas só têm criançada em casa exemplar. São todos super inteligentes, super bem educados, super obedientes, super bons alunos, super arrumados, super, super, super, mas tudo super bom. Fico quase com a ideia que são daquelas crianças que a escola nunca repreendeu. E ai de quem tenha a ousadia de o fazer, o “meu filho é super-tudo, a prof é que deve ter um problema, tá!!”
Posto isto, concluo que o problema sou eu. Afinal de contas eu também tenho filhas super, mas é super normais no percentual da normalidade da pequenada de hoje em dia.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

E quem faz aninhos?

Quem é que faz anos hoje? Quem é, quem é?


O Google. Esse nosso grande companheiro que consegue, por vezes, animar uma noite triste. Quando lhe metemos uma palavra para pesquissa e nos retoma com coisas de partir a rir.
Parabéns, companheiro Google. E não te alteres muito que gosto de ti assim, "sencillo"

Que se passa?

Vazio de tudo;
Dois post em draft guardados à espera de serem acabados, falta de vontade e ideias para completar;
A sensação terrível de quem, sem dar por isso, se desprendeu do cais e navega à deriva no meio do nevoeiro;
O vazio imenso de quem apetece vaguear à chuva;
Mal dormir e acordar com a lágrima a correr;
Sentir pressão e não saber como fugir se bem que não quer fugir;
Falta de garra e ideas para trabalhar;
Um cansaço sem explicação;
Não saber se ceder é melhor ou errado;
Uma aragem de quem está completamente errado e a perder a vida, os que lhe amam;
Ter tudo e não conseguir lutar ou mudar para não ficar sem nada;
A nítida sensação de quem não agarra as oportunidades porque não sabe como.

Que se passa?

depressed rain sad alone 31000 pictures, backgrounds and images

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

"Mix de emotions"

Mix #1
De descida das escadas para o carro:
Eu: Que tens? 'Tás com um ar tristonho.
C1: 'Tou triste e contente.
Eu: Tudo ao mesmo tempo?? Então, conta à mãe.
C1: Tou triste porque me vou embora daqui (da minha/nossa casa), contente porque vou ter com o pai.

Acredito que gerir obrigatoriedades de partilha de espaço / afectos / amores / etc, não deve ser nada fácil. Dou graças a Deus por eu, nunca ter passado por isto. (Espero que agora com a idade que têm, não dê a louca aos meus pais!!!)


Mix #2
Este fim-de-semana é à maneira! Vou rever as colegas que me acompanharam entre o 5º e 9º ano, no colegio. Nunca mais vi ninguém. Estou cheia de curiosidade e farta de tanto rir no facebook com a interacção. Receosa com a minha baralhação com nomes, caras etc. Mas acho que vai valer a pena.


Mix #3
É já neste fim-de-semana que a D. se vai meter literalmente entre-linhas. Vai fazer o workshop de costura. Devido a algumas informações adicionais, fiquei num misto de querer ir, com vontade de fugir. A verdade é que o mundo é um verdadeiro penico e por vezes somos mesmo forçados a conviver com tudo. Mas espero gostar e que seja proveitoso.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Outono - bem vindo

Bem vindo Outono.
És uma estação de sentimentos mistos, para mim.
Gosto do teu cheiro e da tua cor. Chego a gostar daquilo que me começas a proporcionar mais, o estar em casa no quente, o começar a aboborar no sofá com a chavena de chá. Adoro as castanhas assadas e o seu cheiro, os diospiros e a marmelada!
Por outro lado, começa o frio [eu sei, estou a contradizer-me, mas é mesmo um misto de sentires], os ventos, os dias mais curtos, o fim da roupa leve e bonita...
Seja como for és das estações do ano que para mim tem a paleta de cores mais bonitas. Por isso, bem vindo Outono.


OK, eu sei! Este ano, parece que a chegada do Outono trouxe aquilo que o Verão se esqueceu. O calor!

Há mimos tão doces

Nós lá em casa, temos de nos levantar cedo. Para mim, diria que muito cedo.
Ora quando as pipocas estão comigo, lá têm de sair da caminha a uma hora que não apetece muito nem a grandes nem a pequenos, para nos conseguirmos arranjar todas e sair a tempo e horas, deixar as pipocas nos avós para a horas decentes seguirem para a escola e para que a mãe chegue ao seu trabalho a horas e sem grandes stresses. 
3 lancheiras muito orientadas na noite anterior [sim, eu também trago lancheira para o trabalho), roupas todas preparadas e quase por ordem de serem vestidas, mochilas, malas e afins à porta de casa e por vezes até o pequeno almoço está super orientado já.
É a vida! Tem de ser e por isso desde que me lembro gente que me oriento na noite anterior para o dia seguinte quanto mais agora com a criançada e sózinha.

Bem, mas isto para contar que, a pipoca mais velha hoje, assim que o meu despertador tocou, chegou ao pé de mim, toda "desgrenhada" mas com a roupa toda vestida.

Eu: - Já estás levantada e vestida?
C1: - Já mãe. Levantei-me ainda estava assim de noite, estás a ver, e então vesti logo a roupa. Depois deitei-me e continuei a dormir.
Eu: - ??? Então!!?? Mas porquê, que te aconteceu? A mãe não deu por nada!!!!
(o que não é nada normal, que eu apesar de ser abobrenta elas fazem um barulhinho e eu acordo!)
C1: - Então mãe, para assim de manhã perdermos menos tempo, tu não te aborreceres, tratares da mana e chegares a tempo ao trabalho

Agora diga-me lá, há ou  não há pequenos mimos tão doces?
Há!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Mais um grande encontro

E do fim-de-semana muito haveria para dizer. Mas resume-se a mais um grande encontro.
É engraçado como, ao fim de tantos anos, ainda nos conseguimos entender todas tão bem e termos tanta coisa para contar e tanta informação para debitar. E umas ajudam as outras dentro dos conhecimentos que têm, etc.
Estou a falar de mais um almoço, neste caso super familiar, que houve entre mim e as minhas outras quatro amigas de faculdade. A juntar à festa mais os filhos e os "apêndices" que se deslocaram para ouvir a tagarelice. Num total de 14 para uma mesa corrida.
Muito giro. Os miudos, e falo pelas minhas (que da minha parte com poucas crianças se dão) adoraram. Aprenderam a fazer tatuagens novas e tudo.
É bom ter assim amigas. Esperemos que seja para repetir por várias vezes e de preferência com o número de apêndices a aumentar.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Vá lá, ajudem a D.!

Alguém por este mundo cibernautico me sabe explicar porque é que não consigo comentar quando a caixa de comentários tem este aspecto:


Escolho "Conta Google", digito o e-mail etc e dpois não me deixa continuar. Aparece a dizer que:


Já lhes expliquei que não quero mudar de conta. [Gritei para o ecrã, mas acho que não fui ouvida.]

Vá lá, ajudem a D.! Não custa nada e ainda passo recibo para uso no IRS. A D. anda triste porque não pode comentar a maioria dos blogs simpáticos que por aí andam.

Grata pela atenção bloggueira, aguardo a vossa preciosa ajudinha.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Como já não ria há muito

Ontem, tive direito a chorar a rir e a dores de barriga e tudo. Fui ver a antestreia do filme "Cuidado com o que desejas"!
Ri com vontade de tão parvo que aquilo é.
Soube tão bem que acho hoje até estou mais renovada e com meia ruga a menos.
E como eu gosto de rir e de ficar com dores de tanto rir. Adoro mesmo, faz parte de mim.
Considero-me uma pessoa alegre e que por isso, acho que rir é das melhores coisas que há.

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

E do fim-de-semana

como disse, foi doce.


" Tudo vai e vem por uma razão. Se tens uma segunda oportunidade, agarra-a."

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

weird

Porque tento ser simpática e "amiga" de quem só me quer mal?
[Mas o que sou é sentido]
(porque sou parva, ok!)

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Desafio #1 - D. entrelinhas

Agora é que a D. vai ficar entrelinhas!
É verdade, deu-me para me iniciar na costura. Nunca é tarde, não é o que dizem?
Foi ontem que me inscrevi num workshop, do Bolo-de-Pano. Estou cheia de vontade de ver como é, que jeito "levo para a coisa". Depois se conseguir dar largas à imaginação, ir fazendo pequenos mimos.
Não quero fazer "alta costura" (eheheh), nada disso, apenas para fazer pequenos mimos para mim e para as minhas pipocas. Gostava de lhes conseguir fazer, entre outras coisas, umas colchas de patchwork. - Eu pelo menos quando sonho, sonho em grande.
Ontem contem-lhes que ia fazer este curso. Ficaram todas contentes e disseram logo que depois lhes fazia coisas para elas e as ensinava. Claro que sim.
E estamos então a entrar numa nova era, numa nova fase no meu / nosso cantinho.
Ah! Também já tenho uma "encomenda" de uma correia para guitarra. Pequenos mimos para treinar. :)
Um toca e o outro canta enquanto costura.
A vida, pode ter a cor que nós quisermos!

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Constatação

Ignorar pormenores que parecem ridículos, pode-nos levar a perder grandes coisas (na vida)

segunda-feira, 5 de setembro de 2011

2ª feira?!?! Oh! Não. Injusto.

O fim-de-semana foi tão bom, assim uma espécie de caseiró-familiar estilo todos juntos, e tinha de acabar e chegar a 2ª feira?

Continuo a achar injusto.
Deveriam ser, 3 dias de descanso e 4 de trabalho. Digam lá se não era mais justo?

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Estas doçuras são demais


Hoje é o dia em que regressam para mais uma mammy-week. (Até qu'énfim)
Os avós vão buscar e eu assim que sinto que estão em "porto-seguro" telefono.

Ao telefone:
- "Mãe quando é que vens para casa?" 
- "Falta ainda perto de uma hora. Mas vais ver que passa depressa."
- "Mãe, quando vens... Faltam muitos minutos??!!"
- "Não meu amor, estou quase aí."

Já imagino a correria, os abraços, o colo, os beijinhos o "mãe, estás tão bonita". São aos olhos de pipocas. 
Só mesmo por elas e para o futuro delas, aturo o que aturo.


Esta é mais uma sexta-feira, que vale a pena.

Evolução

Não perdi a esperança no amor, mesmo quando pensava que esperança era só uma palavra.
Não acredito em príncipes encantados, mas acredito em homens que encantam.
Sei que a fúria da paixão acalma e que a doçura do amor é melosa.
Sei que depende de mim, deixar-me ser feliz.
Sei que o "não" pouco convicto, não passa de um esconder a vontade.
Sei que a paixão forçosamente resfriada, faz perder parte do sonho.
Confirmei que podem haver muitas panelas, mas só há uma tampa para cada uma.
Confirmei que debaixo da cama há monstros, mas que só os vejo se os for espreitar
Aprendi que a vida pode esconder histórias nunca despertadas e que um acaso as pode levar a acordar.
Aprendi que o destino está escrito, só temos de juntar as letras e saber ler.
Aprendi que gostar de pirosadas românticas, gestos espontâneos, surpresas e palavras doces, dá-me um sorriso e borboletas na barriga!
Aprendi que a vergonha pode fortaçecer e a humildade levar-nos mais longe.
Aprendi que um carinho acalma e um olhar cura.

Aprendi a acreditar em histórias de amor.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Pássaro de gaiola, não canta.

Sou como um pássaro. Gosto de voar, sentir a brisa passar, ser livre. Escolher o ramo onde vou repousar.
Não me coloquem numa gaiola. Definho, perco o brilho, a alegria, o sorrir. Não aguento a prisão, o controlo. Não sou... Não quero... Não posso voltar... vou, mas venho. Porém sem amarras.
O pássaro de gaiola é aquele que não canta, lamenta-se.

(qualquer semelhança entre a minha forma fisica e de um pássaro, é pura ficção)

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Conversinha da treta dos dias de hoje

- Então as férias?
- Foram boas, mas curtas.
- Pois é! São sempre.
- E as suas?
- Também foram boas, mas curtas.

(WTF, não há mais nada para dizermos?)

Help Me!

Deixa lá ver se alguém me liga e me dá uma ajudinha.

Alguém me pode dar uma receita (simples, please) para fazer doce de tomate e para fazer massa de pimentão?

Obrigada.

(d.entrelinha@gmail.com)

Aqui da vizinha(nça)

Se há coisa que me irrita é pessoal a opinar sobre o que não lhe é perguntado. O tal, meter a colherada. Para além de afirmarem coisas que não sabem pois não estavam ainda cá. Ainda andam de fraldas! Depois admiram-se do meu desiteresse.

Ora...

Tenho sono;
Pesam-me as pestanas;
A falta de vontade ainda é maior.
Conclusão: É 2ª feira

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Chegaram ao fim as férias

E passaram 3 semanas num ápice, mas cheias. Agora vem 1 em que me vão fazer sentir ainda mais falta. O ser humano habitua-se bem ao que é bom e estar convosco é o melhor, mesmo com os ralhetes, as preocupações e castigos. (Não é só isto! Há muito mais para além).
Sejam felizes nesta próxima semana, que rapidamente passar. Fica prometido, se der, sim é este que vamos ver. Ah! e a Wii já terá os jogos.

Voltem rápido. Não poderia ter melhores pipocas. Amo-vos.
Mãe

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Solidariedade com Americo Amorim

Vamo-nos todos juntar e ser solidários com A.A. - Américo Amorim. Coitado do senhor, não é rico, é apenas um trabalhador esforçado, um pobre assalariado. O resto da malta, nós, ainda não percebi se está na parte do trabalhador ou do esforçado, mas as duas juntas não deve ser. Pelo menos por mim falo, atendendo aos "0" que a minha conta bancária tem face à de A.A. (à esquerda, entenda-se).
Uma vez mais que confirma que quem mais tem mais quer e mais egoista se torna.
Poupe-me a ouvir as suas balelas, Sr.A.A.

Expressão, problema ou talvez não

Tenho um problema de expressão. Sim, eu também tenho um. As palavras não saem com facilidade. Ficam presas e ruborizadas. Uso gestos e olhares, para expressar o sentir e o querer. Uso pequenas acções para mostrar a gratidão por ter comigo o que me faz viver.
Tenho as mãos para tocar; os olhos para cuidar e a boca para beijar. Tenho o defeito de ser esquiva a o feitio de ser doce. Tenho em mim os ingredientes para despertar o prazer de rir em conjunto.
Mas se o corpo é a expressão da alma e o amor vem da alma, eu expresso-me através do corpo. O meu problema de expressão é verbal, prende-se com as palavras, porque no silencia, o olhar, o tocar e o beijar, conseguem expressar o que vai dentro da alma.
Afinal, não tenho um problema de expressão. Tenho uma forma de expressar que só entende quem faz parte da minha alma.


(Já agora, a foto é minha!)

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

"Coisas de miúdos"

Numas das passagens por vários blogs fui parar a uma Mãe como eu, também ela uma Mãe de saltos altos, sabrinas, ténis e havaianas. Como eu. Como muitas de nós se não todas.
Este é também um tipo de blogs que gosto de ver, uma vez que aprendo sempre qualquer coisa com os outros, neste caso as outras, pois não sei tudo. E como Mãe (por vezes) até acho que sei nada. Entre outros post interessantes, saltou-me este que aqui deixo, uma vez que é mesmo assim, "Quando não temos filhos temos toda uma panóplia de teorias acerca da maternidade. Geralmente, 99% dessas teorias caem por terra no exercício da dita maternidade, quando nos vemos a braços com seres pequeninos que, regra geral, dependem de nós para sobreviver."

Eu nunca fui muito de comentar a forma de maternidade ou paternidade dos outros. Na verdade, nunca liguei muito a isso, talvez por aí não me dava muito para tecer opiniões. Mas recordo-me bem de quando via uma birra de uma criança, pensar: - Mas não lhe dão uma palmada porquê? Foge, só rezo para se um dia tiver uma criança não me faça destas birras. Pois é! E fui mãe e as minhas rezas não chegaram para tudo e muitas vezes também tenho direito a estas ou a essas birras.

Por vezes, para umas coisas crescerem, outras têm de ser sacrificadas.

Se há coisa que me recordo de infância, são as estiradas que fazia no verão em casa da minha tia e da avó. Os meus pais iniciavam as férias comigo, claro, mas havia sempre o dia em que as férias deles terminavam e as minhas continuavam. E continuavam sempre muito bem, muito feliz. Acho que até eram melhores! Eram mimos da avó, tias, primos, etc, que me levavam para todo o lado. E estes períodos fizeram-me criar laços com esta parte da família que via só nas férias.
Este ano, após as 2 semanas de férias em conjunto com as pipocas, ainda restava mais uma semana com elas (*). Bom, mas continuando o que interessa e é bom, eu tive de regressar ao trabalho (isto não é bom, mas é obrigação) - afinal, desta vez sou eu que sou mão e que trabalho - e resolvi deixar as pipocas mais uns dias com os avós e restante família. Na verdade, são só 3 dias, os avós regressam já com elas. E lá ficaram na mesma terra onde eu ficava, nas já para mim habituais e "rotineiras" férias em e com a família. Ora estão com a prima Ju e vão para a praia, ora jantam em casa da prima Ana. Têm a casa das "tias" que agora até tem malta que "fala inglês" - uau, diz a matriarca. Enfim, são dias cheios onde se reconhece a alegria e felicidade em cada telefonema que faço.
Ainda agora, acabei de falar com o avô e ouvia-as a falar alegremente. Foram ver as vacas e estavam a dar-lhes de comer. Fiquei cheia e feliz também, ao ouvir aquelas vozinhas.
Apesar de me terem acusado de forma negativa(*), acho que fiz bem em deixá-las. Muito bem, mesmo. Isto para mim são também férias em família. Daquelas que não se apagam da memória.
Acho que fica a faltar sempre algo no nosso crescer, a quem nunca teve possibilidade de passar um pouco das suas férias de verão "na terra" com uma parte da família.
Por vezes, para umas coisas crescerem, outras têm de ser sacrificadas!

(*)- foram 3 semanas seguidas para não "descontrolar" a vida ao "paizinho" rsrsrsrs..., que mesmo assim, não consegue enxergar para além do seu úmbigo e já se armou em justiceiro - ah ah ah- porém sem carro

:( não consigo

Eu tento e quero comentar em alguns blogs amigos, mas quando a caixa de comentários tem o formato de escolher uma conta (google, OpenID, etc - aquelas que tem uma caixa em baixo que se abre e escolhe), quando clico para conta Google, diz que d.entrelinha@gmail.com não tem permissão.
Alguém me consegue ajudar?

Ah! E também não tenho conseguido publicar links html. Para além de me dar erros quando publico texto, para além de demorar a.... aiiiiiiiiii.....

terça-feira, 23 de agosto de 2011

Pensamento / Mandamento

"Quem não te procura, não sente a tua falta. Quem não sente a tua falta, não te ama.
O destino determina quem entra na tua vida, mas nós decidimos quem fica nela.
A verdade dói só uma vez. A mentira cada vez que te lembras.
Há três coisas na vida que nunca mais voltam: as palavras, o tempo, e as oportunidades.
Então, valoriza quem te valoriza e não trates como prioridade a quem te trata como opção."


segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Voltei, Voltei...

.. voltei de lá! Ainda ontem estava em França e agora já estou cá. Se não é assim, é algo parecido.
Isto para dizer que voltei ao blog que estava não ao abandono, mas sim de férias.
Tenho muitas ideias para aqui deixar sobre as férias, não que isso vos interesse, mas pronto!
Agora vamos ver a coragem ou melhor a não perguiça para escrever para vocês, meus resistentes das minhas letras. E merecem. Ah! Pois merecem.
Vamos ver o que dá.
Até já.

domingo, 14 de agosto de 2011

Pssst....

Não estou ao abandono. Tenho a "escritora" de férias e com alguns problemas em aceder aos dados.
Não me esqueçam. Ela prometeu que voltava. Até lá, preciso do carinho das vossas visitas.
Ass: D'entrelinha o blog.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Vou dar 2 CRIANÇAS de 1 e 11 anos,

Já que pretendo adoptar um gato e ele é alérgico a crianças. 
Além do mais, vou de férias e não sei onde as deixar... 
Caso não sejam doadas, serão "eutanasiadas".
 


(Pandora)

                                                                    Surpreendidos? 
A cada dia dezenas de anúncios semelhantes são publicados 
no sentido inverso e são poucas as pessoas que ficam surpresas. 
Para seguir com a luta contra o abandono animal, copia e cola no teu blog!

Se és a favor dos animais diz-me o que pensas...

(a ideia, veio daqui. mas se acreditas, passa a palavra)

Só devia falar das mulheres quem as conhece :)

Apanhei o texto "nas nuvens", num blog simpático e com boas teorias - Teorias nas Núvens - e achei simplesmente lindo e inteligente.

“Tenho apenas um exemplar em casa, que mantenho com muito zelo e dedicação, mas na verdade acredito que é ela quem me mantém.
Mulher vive de carinho. Dê-lhe em abundância. É coisa de homem sim, e se ela não receber de você vai pegar de outro.
Beijos matinais e um ‘eu te amo’ no café da manhã as mantém viçosas e perfumadas durante todo o dia. Flores também fazem parte de seu cardápio – mulher que não recebe flores murcha rapidamente e adquire traços masculinos como rispidez e brutalidade.
Respeite a natureza. Você não suporta TPM? Case-se com um homem. Mulheres menstruam, choram por nada, gostam de falar do próprio dia.
Não faça sombra sobre ela. Se você quiser ser um grande homem tenha uma mulher ao seu lado, nunca atrás. Assim, quando ela brilhar, você vai pegar um bronzeado. Porém,
se ela estiver atrás, você vai levar um pé-na-bunda.
Aceite: mulheres também têm luz própria e não dependem de nós para brilhar.
O homem sábio alimenta os potenciais da parceira e os utiliza para motivar os próprios. Ele sabe que, preservando e cultivando a mulher, ele estará salvando a si mesmo.
É, meu amigo, se você acha que mulher é caro demais, vire gay. Só tem mulher, quem pode!”

Luiz Fernando Veríssimo

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

que fazer... a uma filha assim...

que fazer...
... quando ligamos às filhas que estão faz 3 semanas de férias com o pai e perguntamos à mais velha:

 - Tens saudades da mãe?
 - Não!
 - Não?! Então, queres ficar com o pai e não te vou buscar?
 - Sim.
 - ....

Mais pequenina:

 - Tens saudades da mãe?
 - Tenho!

E agora? Na sexta, só vou buscar a mais pequena e deixo lá a mais velha, para as minhas 3 semanas. Ou é pouco pedo-psico-educacional- etc... ? [É que eu por vezes passo-me e passo a sério então com estas coisas.]

Eu sei que as meninas são mais ligadas aos pais, eu própria sou mais ligada ao meu pai do que à minha mãe; sei que a minha filha mais velha, não é criança de se prender nem de sentir grandes saudades, [nisso é um bocado como eu, mas há limites], se está bem, é o que importa, não interessa com quem. Mas caramba, bem que se podia calar um bocadinho. É que fico sempre com a dúvida se não será a "cabeça feita" pelo pai e restante "família" [aquela gente não se sente]Agora, tenho de dizer que só trago o gatufo pequeno. A outra... olha! Fica lá.
Que merda!

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Dos momentos que sabem bem

Ontem tive um jantar de amigas - eramos 3. Normalmente costumamo-nos ver de vez enquando, principalmente em momentos de festa das afilhadas e irmãs, etc. [Sim, eu sou madrinha da filha de uma das minhas amigas e o marido padrinho da minha. - e o meu ex também é padrinho da filha deles, mas esse praticamente desapareceu.- que pena!! Ficou praticamente tudo em família.]
Bom mas isto apenas para referir que, foi um jantar mesmo à maneira. Descontraído, onde as "agulhas de tricôt" não pararam de tricotar camisolas alheias; rir foi a palavra de ordem e o tecer opiniões e formas de agir, também.
Muito, muito agradável. A promessa de repetir assim em dias "só-porque-sim", ficou. Esperemos que não fique só pela promessa.
Há pequenas coisas que nos enchem e que eu descobri já "tão" tarde na vida. Mas que agora aproveito ao máximo.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

O que dá ir ao shopping

Por vezes durante a hora do almoço, resolvo ir dar "só uma voltinha" ao shopping [de preferência sózinha] para espairecer e ver gente.A desgraça é quase sempre a mesma. Acabo a espairecer a cabeça e a carteira.
O mais engraçado é que na maioria das vezes acabo a gastar mais dinheiro para as minhas pipocas, e muitas vezes para a casa, do que para mim. E esta hora de almoço, não foi excepção.

Comprei, entre outras coisas - tudo necessário, atenção - uma t-shirt a cada uma dos Smurf. Desde miuda que adoro estes bonecos azuis e as suas histórias. Lembro-me de ter uns em PVC e um cogumelo / casa. Ainda me lembro quem me ofereceu. Já vi pelas lojas, agora, à venda. Gostava de encontrar os meus, para dar às pipocas.
Estou à espera de ir ver o filme e de as levar, para ver se são também tão fãs destes pequeninos azuis como a mãe.

Hoje estou assim

A vida pode ter tantas cores quantas queremos. E o sabor dos nossos dias.

terça-feira, 26 de julho de 2011

*

mesmo quando tudo está bem, não devo esquecer que:
As grandes tempestades não duram muito, assim como as grandes felicidades não são eternas.

o problema é meu...

...mas eu juro que gostava de perceber o fenómeno de alguns blogs.
Mas isso, sou eu!

segunda-feira, 25 de julho de 2011

das férias

Já vos disse que estive de férias, não já? Claro, no post anterior que me deixou boqui-aberta (não sei se é assim que se escreve, mas adoro a expressão!).
Pois foi. Estive de férias. Nada de especial, casa - casa - rua - praia - casa - etc... Esteve uma semana tão, mas tão ventosa, qua a opção foi mesmo andar por casa e fazer assim umas descansadas férias com muito de gastronómico.
Cozinhar a 4 mãos, pratos e bebidas que estavam de-li-ci-o-sos. Deve ter sido do carinho que os temperou.

As tentativas de ir até à praia foram algumas. Mas a permanencia era curta, porque uma hora de acumputura com areia, era suficiente para passar qualquer-dor.
Aguardemos que o tempo melhor muito, para as próximas férias serem mais quentes.

baralhadinha de todo!

Regressei de férias e ao meu blog quase ao abandono.
Comecei, como faço sempre, a clicar de blog-em-blog e a ler. Passeando de link-em-link e confesso, estou baralhada de todo. Estupfacta e Estupido-facta. Sem conseguir perceber "puto" do que se passa. Por certo também não tenho que o perceber, mas.... há pessoal que não tem nada com que se entreter ou sou eu que não estou mesmo a perceber népia?
Notem que não estou de lado nenhum, nem tenho que estar. Por várias razões; não conheço os meandros das histórias; não conheço sequer os inícios das mesmas; nem tão pouco conheço as pessoas; não tenho nada a ver com o assunto; o meu blog é um "blog-caseiro" e por isso, fora destas coisas esquisitas.
Eu pensava que, tirando blogs "a sério", a blogoesfera era um local de divertimento, onde quem quer conta o que lhe apetece e quem não quer, pura e simplesmente não vem cá. Que as pessoas se expõe o quanto querem e o quanto se sentem à vontade para se exporem, etc, etc. Também eu em tempos, num outro blog que tive, tinha uns quantos anónimos completamente despropositados, que liam e interpretavam as coisas a seu belo prazer, tendo-se a si próprios como espelho. Achavam-se importantes o suficiente para acharem que eu lhes dava tal importância. Criaram "grupos" de supostos amigos e interpretes do blog e despejavam o seu veneno nas minhas caixas de comentário. Eu como na verdade, me estava a "cagar" para eles, nem sequer tinha comentários moderados (não tenho absolutamente nada contra quem os tem. Cada um sabe de si). Deixei-os andar enquanto quis manter o blog aberto. Depois e porque a minha vida tomou um rumo diferente, achei por bem ter um canto diferente onde por vezes deixe algo de mim para quem quer ler, tem paciência para tal e algum gosto pelo mesmo. Não tenho ideia nenhuma se os "tais" anónimos conhecem este meu "novo" canto nem se não. Ligo tanto a isso, que perdi as entradas no Sitemeter e não voltei a pedir outras.
Bom, mas adiante. Isto para dizer que de link em link fui vendo uma "guerra" entre uma tal de Love Etcetera, que, ao que me recordo, tinha um blog diferente, uma tal que diz que Tem mais que fazer, que ao pouco que me deu a entender, foi lesada. Tentei ler, não percebi nada. Depois tenho também a minha Blog-Amiga Ana (não conheço pessoalmente, mas é daqueles blogs que me merece consideração), qua também foi vítima de bloguisses sem interesse, neste caso, plagio. Para além da S*, (igualmente blog-friend) se não me engano, que também foi plagiada, etc, etc, etc.
Desculpem lá! Mas sou eu que estou errada ou anda tudo doido? Eu leio os blogs, interesso-me mais ou menos pelo que as pessoas dizem, mas não estou interessada em saber quem está por detras daquelas letras. Se souber, óptimo, leio com outros "olhos", se não, gosto ou não gosto.
Confesso. Fiquei baralhada e em entender o que raio se anda a passar pela cabeça das pessoas. Anda tudo folgado ou quê?
Sinceramente!

quarta-feira, 13 de julho de 2011

ser Mulher :)

A emancipação da mulher é fantástica. Conseguimos fazer muito sozinhas e sentimo-nos ainda maiores.
Mas um homem habilidoso dá sempre jeito ter por perto.

segunda-feira, 11 de julho de 2011

Relatividade d'hoje

O que ontem fez sentido, hoje pode ser mera lembrança.
O que hoje é sentido, amanhã pode ser passado.
É por isso que vivo o hoje, não valorizando o passado e sem pensar no que poderá significar no futuro. Embora saiba que o passado pode influenciar o hoje e este o amanhã.
Mas é por isso que hoje é para ti que vivo.

Compensa estar na fila?

Eu não vou chegar a ficar rica. Perco a paciência antes do tempo.
Na passada sexta-feira, onde houve lugar àquela batelada de dinheiro, pensei cá para comigo:
"É hoje que vou gastar uns trocos. Pode ser que me calhe um "quinhão" daquela maquia toda. E isso dava-me cá uma jeitaça!!!"
E então lá fui eu até uma das bancas onde se mete o euromilhões.
A fila era de tal forma exageradamente grande que eu, desisti. E lá se foi a infima esperança de ganhar alguma coisa.
Compensaria estar na fila? Não sei. Nem vou saber.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Qual psicologo, qual quê!



Mais beijos (e menos Prozac).
Inventar as receitas.
Festinhas para dormir.
Um peito para repousar a cabeça.
Rir em conjunto e muito.
Ver a alegria dos nossos com a chegada de alguém.

Receitas para fazer bem à alma e ai ego e baixar os gastos na farmácia.

Done!


Até parece que a Pólo Norte me fez isto de propósito!
Ai... vou tratar de andar em cima do blog.

Limpezas & Exfoliações caseiras

Tinha a minha casa com uma bela camada de pó (cotão, ervinhas e etc) no chão, muito devido a deixar as janelas semi-abertas para poder entrar um pouco de ar fresco, ou menos quente. Atendendo ao próximo do quintal ainda sem nada plantado, logo em terra, aliado ao pó que existe sempre em voo de um lado para o outro, o chão estáva impecavelmente sujo!
Aspirador na mão, já com o balde da esfregona preparada para dar entrada de seguida,  toca a passar por todo o lado e canto e berma. Satisfeita por estar a imaginar a minha casa muito mais habitável, começo a olhar para tras. Um rasto assustador de bocadinhos de pele estavam a delinear o caminho que eu e meu amigo aspirador, de seu nome Ariette, deixávamos. Volta atrás. Aspira de novo. Vira o pescoço e... novo rasto. O delírio para o CSI o desespero para a D.
Depois de algumas palavras entre dentes e vendo que não conseguia vencer a queda de pele, resolvi, para além de aspirar o chão, aspirar também as pernas. É verdade. Não solucionou, mas ajudou em parte a proceder à fase final de uma exfoliação inedita.
A casa estava linda e cheirosa e eu contente. Hoje pela manhã, já se formava novo rasto a favor do CSI.
Raios! Mas a pele cai ou não cai!
(pelo título se calhar até parecia que vos ia dar alguma receitinha caseira miraculosa, não?)

terça-feira, 5 de julho de 2011

Abandono

O meu blog coitadinho, já nem entre linhas tem mensagens. Nem letras, nem pontos nem vírgulas.
Na verdade, não tem nada.
Está abandonado, o pobre!
Nasceu cheio de força e boas ideias e olhem ao que chegou!
Por certo teria muitas coisas para aqui contar, mostrar fotografias (apesar de não ser bem "a minha onda" mostrar fotos da minha casa, do que comprei, etc. Mas.... nunca se sabe), mas teria muita fofoca, coisas ruins, alegrias, lágrimas e sorrisos para partilhar.
E porque não o fiz? perguntam vocês, os poucos que ainda aqui vêm ver? Por nada em especial. Ou então, por uma preguiça incontrolável. Vai na volta, perdi a password de entrada. Ou se calhar achei que iria despejar aqui alguma raiva. Ou como diz um otário que conheço, [só conheço um?? - sortuda] despejar veneno. Ou se calhar achei que não tinham interesse em ler as minhas palavras parvamente apaixonadas. Ou secalhar, queria falar da política do país e não sei.
Bem, mil-e-um motivos, mas só um será o válido. Agora isso também não importa.
Vim aqui para dizer, aos resistentes, qua ainda sou viva. Vamos ver se consigo repor aqui algumas letras ou se terei de entregar este blog à Liga Protectora de Blogs.